sábado, 28 de abril de 2018

Suplemento de proteína - Whey protein ou proteína vegetal (vegana)?




Como um nutricionista, escritor e palestrante, li centenas e centenas de artigos, livros etc nos últimos 12 anos que estou na área e me interesso por nutrição. Nos últimos 4 anos, ao escrever o veganismo para mães, pais e bebês, meu 7 livro (e 4 livro didático), me eduquei muito mais sobre a questão dos POPs (poluentes orgânicos persistentes) e mais especificamente as dioxinas e os metais pesados. Sabemos que todo processo industrial, gera dioxinas e metais pesados que são liberados no meio ambiente, mas também são intrínsecos aos produtos gerados. Ou seja, uma lata de comida é revestida por BPA, um plástico contém ftalatos, uma simples lata de tinta contem chumbo por exemplo. Nas ultimas décadas, o frenesi de suplementação em prol da obsessão pelo "#FICAGRANDEPORRA#" vou me tornar "#MONSTRO#", fez as pessoas se basearem cada vez mais na indústria de suplementos para obter seus nutrientes, principalmente no caso do tão popularizado suplemento de proteína, chamado whey protein. Com a popularização do veganismo, todos os produtos famosos no meio onívoro estão ganhando versões veganas. Obviamente, só por ser vegano é mais ético e ambiental. FATO!  Entretanto, será mesmo que deveria ser titulado proteína vegana? Como essa foto mostra, pesquisa em marcas de suplementos de proteína vegetal americanas, como a famosa VEGA, mostra que inúmeros destes suplementos são contaminados por BPA, Mércurio, chumbo e outros POPs. Substâncias, imunotóxicas, cancerígenas, reprotóxicas, neurotóxicas, diabetogênicas e teratogênicas, com influências epigenéticas datadas na literatura há décadas. Sabemos que inúmeras espécies de animais morrem se sufocando com plástico ou comendo plástico. Sabemos que nós mesmo já provavelmente vivemos com microplástico dentro de nós e essas substâncias, dioxinas e metais pesados são onipresentes no sangue, urina, fezes, leite materno, liquido amniótico de todo ser humano

E sabemos também, que populações inteiras de animais estão sendo dizimadas pelo globo, devido a reprotoxicidade e má formação do sistema reprodutor que estas toxinas causam. Temos o chamado imposex na biologia, desde 1960, mostrando que caramujos machos desenvolvem vagina, só por estar em constante contato com as tintas dos navios que eles se grudam, a quais são feitas com petroquímicos e metais pesados. Peixes machos tendo órgãos feminilizados, ausências de gaivotas machos na califórnia, sapos, ursos, baleias se tornando hermafroditas, assim como seres humanos sofrendo de altas incidências de miropenis, criptoarquia e hipospadia, canceres do sistema reprodutor entre muitos mais. Bom, poderia passar um dia falando sem que repita qualquer dado de informacao e continue ainda muito informativo. Mas queria só perguntar ao meio vegano como um todo e pedir reflexão. Somos ativistas por qual razão? Pelos animais correto? Se o plástico e a produção industrial dos tão sonhados suplementos, produz inúmeros problemas a vida animal, tirando o fato que produz a seres humanos e degrada o meio ambiente com o plástico e tudo é interligado, não temos como danificar um ecossistema sem afetar os outros, será mesmo que esses suplementos são veganos? Vocês estão cientes que a cada saco ou lata de suplementos que consomem vocês liberam toxinas não biodegradáveis por décadas, lipofílicas, que vão entrar no sangue dos animais até mesmo no ártico, e contribuir para má formação de seus órgãos sexuais, tornando os "franksteins" sem capacidade reprodutiva? Fica a reflexão de um nutricionista, que não visa criticar nem brigar, mas apenas amar e proteger, os sem voz, e alertar os ignorantes em relação aos dados científicos que queiram se iluminar, literalmente.