segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Existe criação ou abate humanitário?

Trecho do livro Revolução Vegana.

Criação humanitária?

“Em pensar que temos algo chamado abatedouro. Onde pessoas são pagas para agarrar um animal, usar varas de choque para forçá-lo a ir onde bem entender, enfiar parafusos em suas cabeças, cortar suas gargantas, pendurá-los em correntes e assisti-los morrer, enquanto o sangue jorra de suas gargantas e esperneiam desesperados... só de pensar que isso existe, e nos números que atinge! Não estamos falando como se houvessem algumas más pessoas mas de uma norma.” David cole, autor do livro “The insanity of humanity”.
Imaginemos se, não fossemos a “raça dominante” e outra raça nos aprisionasse em imensas fábricas de abate. Geração após geração, nossas mães, avós, bisavós, fossem continuamente estupradas. Nossos pais, avôs e bisavós continuamente masturbados ou forçados a procriar. Toda nossa família fosse presa, sem a possibilidade de ver a luz do dia, se mover ou escolher o que se come. Fossemos torturados, espancados, injetados com drogas e superalimentados em função de engordar e ainda fizéssemos nossas necessidades no mesmo cubículo onde moramos. Tudo isso apenas em prol de alimentar essa “raça dominante”, mais esperta ou mais forte e capaz que nós. Imagine como seria a vida, se geração após geração, você e seus familiares não tivessem escolha. Por mais que você sentisse, tivesse emoções, preferências, quisesse viver, amar, se movimentar, comer seus alimentos naturais, ter relações de amizade, relações sexuais não forçadas, entre muito dos outros naturais prazeres da vida, todos eles seriam negados a você e a todos seus parentes por mais de um século. Imagina só nascer e viver uma vida curta em função de um único propósito. Servir de alimento para essa outra espécie maldosa. Isto é literalmente o que temos feito a mais de um século com os pobres animais de abate, que não nasceram e nem foram criados pela natureza, para serem escravizados, assassinados e usados como mercadoria ou comida para nós. Se dezenas ou centenas de animais humanos são torturados, maltratados e assassinados, isso é considerado um crime, uma atrocidade, um ato desumano. Mas se mais de 56 bilhões de animais são assassinados todos os anos, em prol de “alimentar” o animal que se denomina ser humano, isso é aceito em nossa sociedade como algo normal. De humano isso nâo tem nada.

“Como você se sentiria, se no dia que você nascesse, alguém já tivesse planejado o dia da sua execução?“ Gary Yourofsky , ativista Muitos deles, como vacas e porcos são colocados diretamente em contato com o concreto, durante todo o tempo de vida. Obviamente, seria muito mais confortável que eles ficassem sobre palha, como antigamente os animais ficavam e como vemos em filmes hoolywodianos os animais em celeiros. Mas estamos falando de uma indústria sem dó, que visa apenas o lucro, portanto, colocá-los sobre palha, seria ter muito mais trabalho e gasto, já que ela teria que ser trocada, enquanto o concreto, eles podem apenar lavar os dejetos dos animais com uma grande mangueira, ou até mesmo deixá-los vivendo neles. Só que viver a vida sobre solos de concreto, não apenas causa danos as suas patas, mas desconforto ao deitarem. Existe ampla evidência, tanto documentada como gravada, de animais sendo espancados, maltratados e torturados por “puro prazer”. Porcos geralmente têm seus rabos amputados e dentes aparados, em função de não se mutilarem. Sem os dentes e rabos eles não conseguem machucar a si mesmos ou uns aos outros. Os porcos assim como os bezerros podem até mesmo ser castrados sem anestesia. Agora lhe pergunto, isso é criar animais de forma humanitária? Será que existe realmente uma forma de fazê-los crescer de forma bondosa e cuidadosa, se o animal está apenas sendo gerado para que nós arrancarmos sua carne, ordenharmos suas secreções mamárias e nos estufar delas? O mais horrendo são os diversos modos de abate destes pobres animais 6. Os principais usados pela indústria são: } Pistola pneumática: É apontada para cabeça do animal e uma vara de metal atravessa o cérebro da criatura. Como nem sempre é certeiro, pode até mesmo perfurar o olho primeiramente. } Atordoamento elétrico: Os animais são molhados e então eletrocutados ou degolados e sangram até morrer. } Golpes de marreta: O crânio é rachado através de marteladas na cabeça. } Abate ritual: Os animais têm sua jugular cortadas enquanto conscientes. Ou são pendurados de ponta a cabeça por guinchos em suas pernas, antes de serem degolado