segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Enjoo matinal é um mecanismo de proteção contra carne, queijo, leite e ovos cientistas alegam


Queridos leitores, escrevendo para meu mais novo livro, o "Veganismo para mães, pais e bebês" ai vai um trecho do mesmo:

Enjoo matinal durante a gravidez



De acordo com a pesquisa conduzida pelo Dr. Samuel Flaxman, aproximadamente 2 terços das mulheres vivenciam náusea e vomito durante o início da gravidez. Mulheres que desenvolvem enjoo matinal tem menor risco de abortos e uma melhor chance de sobrevivência do bebê. Cientistas vêm provando que o enjoo matinal (náusea e vomito), durante o primeiro trimestre é um mecanismo de proteção do organismo para proteger o feto e a mãe, para expelir e evitar alimentos que contenham toxinas abortivas ou teratogênicas, uma função adaptativa profilática.

Buscaram com foco em aversão a vegetais com gosto amargo (nossa aversão ao gosto amargo é também outro mecanismo fisiológico de proteção contra toxicidade), bebidas com cafeína e álcool. Mas concluíram na verdade que as maiores aversões eram a produtos de origem animal (carne, queijo, leite e ovos). Ao analisar 20 sociedades usuais que sofrem de enjoo matinal e 7 que nunca foram observadas tendo enjoo, estas 7, tinham suas dietas quase que veganas.

A conclusão do estudo é que produtos de origem animal antes da refrigeração facilmente continham parasitas e bactérias patôgenicas e a mulher quando grávida, passa por uma fase de imunossupressão, a qual presume-se que é para reduzir a chance da rejeição dos tecidos de sua própria prole, assim estando mais vulneráveis. E com isso um dos principais benefícios do enjoo matinal seria também reduzir a ingestão de POPs (Poluentes Orgânicos Persistentes) nos produtos de origem animal devido a sua lipofilia induzir a bioacumalação demasiada nas células adiposas dos animais. Estas toxinas ambientais são correlacionadas a aumento na infertilidade, abortos espontâneos ou recorrentes e defeitos congênitos 242443942928585825.  



Samuel M. Flaxman , and Paul W. Sherman , "Morning Sickness: A Mechanism for Protecting Mother and Embryo," The Quarterly Review of Biology 75, no. 2 (Jun., 2000): 113-148