quarta-feira, 31 de maio de 2017

Câncer e dieta

Queridos leitores,

Estarei fazendo uma série de vidas sobre a segunda doença que mais mata no mundo, o câncer. Uma boa parte do meu TCC foi focada no câncer, portanto, gostaria de compartilhar um pequeno trecho do TCC.

Em breve, estarei fazendo novos vídeos e novas postagens e estou criando uma playlist no canal só sobre a doença. Assim como no próximo post, compartilharei todo o subcapítulo do câncer do meu livro Revolução Vegana - A solução para sua saúde, dos animais e do planeta.


O Câncer e sua etiologia nutricional

O câncer é um grupo de doenças caracterizadas pelo crescimento e disseminação descontrolada de células anormais. De acordo com a OMS (STEWART, 2014), apenas nos Estados Unidos, 1600 pessoas ao dia sucumbem da enfermidade nomeada de câncer e mais de 580 mil morrem anualmente, sendo a segunda principal causa de morte mundial, causando aproximadamente 30% do total de óbitos no mundo ocidental.

Na atualidade, a doença é tratada principalmente com cirurgia, radioterapia, quimioterapia e pouco foco em procedimentos dietoterápicos. Apesar de uma Guerra ao câncer ter sido declarada a mais de 50 anos atrás pelo presidente Americano Richard Nixon, e bilhões de dólares de investimento em busca da cura através de processos farmacológicos, tratamentos invasivos e pesquisas médicas científicas, parece que não temos sido muito efetivos, já que os índices desta terrível doença apenas vem crescendo ao longo das últimas décadas. Embora a maioria dos pacientes, leigos nos dados mais recentes de eficácia de tratamentos usuais, desconhece que a quimioterapia citotóxica, é na verdade curativa em apenas 2% dos casos dos principais tipos de câncer e gasta em torno de 100 mil dólares por paciente por ano (MORGAN et al 2004). Portanto, compreender a etiologia nutricional e como prevenir a doença, é uma forma mais segura, menos invasiva e muito mais econômica de se tratar o problema.

Pesquisas comprovam que manter um peso saudável, evitar o tabagismo, a prática de exercícios físicos e uma dieta saudável, mantidos através da dieta, reduz fortemente o risco morbimortalidade não só de câncer na vida, mas de diabetes, DCV (Doença Cardio Vascular) ou de todas as causas combinadas (KUSHI, 2012).

Apesar da compreensão da etiologia do câncer não ser tão disseminada e um consenso científico tanto quanto a DCV, muitas pesquisas na última década já começaram a correlacionar a ingestão de vários nutrientes a etiologia da doença. Portanto, apesar de o público ainda acreditar muito em fatores genéticos ou tabagismo, muitos dos componentes das dietas ocidentais modernas podem ser correlacionados a proliferação de neoplasias malignas (CAMPBELL 2007).

Apesar das recomendações da ACS (American Cancer Society, 2012) serem para consumir uma dieta saudável com alimentos vegetais sendo a prioridade da dieta, limitar o consumo de carne vermelha e processada, usar alimentos integrais ao invés de refinados, limitar o consumo de bebidas alcóolicas, comer pelo menos 5 porções de frutas e vegetais ao dia e evitar dietas hiper-calóricas, ricas em alimentos com calorias vazias a população mundial, inclusive a maioria esmagadora da população brasileira não é ciente destas recomendações ou não as segue. Já que de acordo com o POF de 2012, menos de 10% alcança o consumo sugerido como mínimo diário de 400 gramas de frutas e vegetais ao dia. O brasileiro tem um alto consumo de refrigerantes, bebidas alcoólicas, carne bovina e baixíssimo consumo de vegetais, carboidratos complexos integrais, frutas e vegetais, nozes e sementes (POF, 2010).

A iniciação do câncer começa quando químicos e outros agentes atacam os genes de células normais, produzindo células geneticamente modificadas capazes de eventualmente causar o câncer. O corpo é capaz de reparo a maior parte dos danos, mas se a célula se reproduz antes de ser reparada, sua “filha” reterá este dano genético. Portanto, devemos focar na prevenção primária, visando evitar ou a drasticamente reduzir a exposição a fatores de risco carcinogênicos (TOMATIS, 2001).