quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Introdução do livro "O Jejum Higienista - A Cirurgia da Natureza"

Pensei em compartilhar, a parte introdutória do meu livro, em prol de fornecer um pouco mais de informação a todos, sobre a importância do jejum em função da restauração da saúde. Espero que gostem!

"Após duas décadas de terríveis hábitos alimentares, comendo a dieta padrão atual, rica em proteína e gordura animal, colesterol e carboidratos refinados, apenas aos vinte e dois anos, vi-me confrontado por baixa produtividade, imensas dores de coluna e diversos outros problemas de saúde. Acreditando em que existia alguma forma de me curar e em que estar doente da maneira em que me encontrava, não era algo normal ou mesmo que deveria acontecer, passei anos buscando os mais diversos tratamentos através do que eu conhecia como o único caminho. Busquei  através dos dois modelos em voga, a medicina convencional e a chamada “medicina alternativa”. Tomando tais modelos como referência, qualquer terapia ou prática que você possa nomear eu tentei: Fisioterapia, RPG,  remédios  alo e homeopáticos, radiografias, acupuntura, osteopatia, quiropraxia, injeções contra alergia, usuais recomendações nutricionais, como consumir carnes “magras”, barras de cereais, “superalimentos” como mel, própolis etc. Como nada estava adiantando e devido a recomendações médicas, eu estava prestes a fazer duas cirurgias. Está é apenas uma pequena lista de tudo que eu tentei em busca de corrigir meus problemas de saúde, voltar a me sentir bem e eliminar meus constantes e persistentes sintomas.
Após anos e anos de tentativas falhas e vendo e sentindo meus problemas de saúde a cada mês ficarem mais agravados, desmotivado pela falta de resultados, mesmo seguindo fielmente as recomendações médicas, decidi parar de buscar incessantemente pela ajuda profissional e me educar mais no assunto. Comecei a ler, freneticamente, livros, artigos e outras publicações de profissionais através do mundo, mundialmente reconhecidos por obterem incríveis resultados, tidos  por  impossíveis pelo modelo médico. E nessa minha pesquisa e busca pela saúde, encontrei o que é chamado de crudivorismo e, alguns meses depois,  o modelo de saúde completamente  antagônico a  medicina “ortodoxa” e a alternativa. Encontrei o chamado de Higiene Natural.

Após em torno de seis meses de prática do crudivorismo, obtive um contato muito maior com o meu corpo. Depois de extensiva leitura sobre a prática da Higiene Natural, adquiri uma compreensão melhor sobre o funcionamento da saúde humana e, como consequência, convenci-me de que meu corpo implorava que eu jejuasse já desde minha infância. Sempre notei uma falta de fome, por mais que me empanturrasse e tivesse a maior parte da minha vida  consideravelmente acima do peso, sempre notei que nunca tive desejo por alimentos naturais, nunca consumi frutas e vegetais em seu estado cru sem serem completamente misturados com diversos outros ingredientes, alterados, cozidos e temperados.
Mas, após começar o estilo de vida higienista, mesmo antes de começar a ler sobre os benefícios e as incríveis recuperações de doenças incuráveis que os pacientes tratados com um jejum higienista obtinham, eu já percebia que meu corpo pedia descanso e abstinência de comida. Percebi que o estilo de vida crudívoro higienista aumentou meu contato com o corpo, minha conscientização de minhas reais necessidades e com isso, percebi que meu corpo ansiava, pedia há décadas por um jejum, já que desde cedo eu era uma criança sem apetite, sempre fugindo da mesa e negando alimentos crus e naturais, tendo um apetite pervertido, desejando apenas “alimentos” que foram altamente processados e cozidos, como produtos animais e alimentos industrializados. Após ler a literatura científica, assim como a literatura higienista, notei que meus sintomas eram exatamente o que seres humanos e animais doentes demonstram; o que organismos mal nutridos demonstram em função de indicar que algo está errado.

Portanto, após  apenas  cinco  meses  da adoção de uma dieta crua quase que exclusiva de frutas e vegetais, assim que tive minhas primeiras férias da faculdade, fiz meu primeiro jejum longo. Ainda sem muita informação e experiência no assunto, pensei que em vinte dias eu conseguiria reverter todos os problemas de saúde que foram gerados por vinte e dois anos dos piores hábitos possíveis e determinei que eu iria jejuar no máximo vinte dias. Entretanto, eu não sabia que é errado determinar um certo número de dias, já que é o corpo quem dita o quanto tempo ele precisa e não existe como prever o quanto tempo será necessário de jejum. O próprio corpo que demonstra por diversos indícios fisiológicos, quando você deve quebrar o jejum, porque ele acabou seu processo de regeneração e está novamente funcionando de forma otimizada .

Como senti necessidade, acabei levando meu jejum para vinte e quatro dias e, infelizmente, tive que quebrá-lo, já que minhas férias tinham terminado e eu tinha que voltar a minhas obrigações. Sentia que não era a hora de quebrar o jejum e que meu corpo o pedia por mais tempo. Sentia que continuá-lo, por mais alguns dias, ou uma semana ou duas, seria benéfico mas os afazeres e obrigações da vida moderna falaram mais alto e terminei-o prematuramente. De qualquer forma, foi definitivamente a experiência mais forte que já vivenciei na vida, um bem estar inimaginável, algo inexplicável que jamais havia sentido ou vivenciado. Foi algo completamente sem precedentes e, com certeza, a experiência mais significativa que já tive até hoje. Tenho excelentes lembranças de meus longos jejuns e todos foram um prazer, ao invés de uma privação.
Durante meu jejum, era nítido, devido as minhas sensações internas e a minha aparência externa, que eu estava, literalmente, recuperando minha saúde perdida a cada dia. Toda minha aparência se tornava cada vez mais jovem, desde cabelos e pele ficando mais sedosos, meus dentes ficando mais brancos, meus olhos se tornando mais vividos, minha disposição e clareza mental continuavam a aumentar constantemente, alcançando níveis que eu nunca imaginava possíveis. Sentia-me mais jovem do que jamais havia me sentido em toda minha vida e tão disposto e determinado, que era como se eu pudesse alcançar qualquer objetivo, como se nada pudesse deter-me. Tinha energia de sobra para abordar diversos projetos.
Após os primeiros dias, sobretudo após há primeira semana, eu conseguia sentir e ver exatamente cada parte do problema de que meu organismo estava tratando e se regenerando no devido momento, isso porque cada dia ou dias, certos locais em que eu sofria dores fortes ou sintomas há meses ou anos, ficavam vermelhos, sentia o sangue correndo forte para aquela região, uma dor muito leve naquele local e após um curto período de tempo, talvez alguns dias, o local parava completamente de doer e a grande quantidade de sangue que era notavelmente enviada ao local diminuía. Era perceptível a olho nu e através do toque para outras pessoas, já que ao olhar você conseguia ver certas regiões pulsando forte, já ao toque você podia sentir o calor e o pulsar muito mais forte que o usual. Ou seja, o processo regenerativo é visível e perceptível à pessoa jejuando e aos observadores. A grande quantidade de sangue que é visivelmente remanejada para um local do corpo onde existe algum tipo de dano é literalmente uma grande quantidade de “comida” (nutrientes) sendo realocada para aquela parte, para que o trabalho de reparo e renovação celular possa ocorrer.
Nos últimos dias, sentia-me infinitamente melhor do que quando comecei, uma sensação de pureza interna, como se meu organismo houvesse sido limpo por dentro. Obtive alívio de inúmeras dores e desconfortos  vivenciados durante muitos anos. Obtive os resultados que eu buscava, muito mais do que os resultados que sempre esperei, mas jamais obtidos através dos usuais métodos em voga. Fiquei incrivelmente feliz de saber que minha intuição estava certa, e que estudar e adotar os princípios da Higiene Natural foi o caminho certo, ao invés de continuar gastando tempo, saúde e dinheiro nos usuais procedimentos médicos caros e invasivos. Fiquei contente também em saber que não precisava ser cortado com um bisturi e injetado com drogas anestésicas em função de me ver livre de doenças. Fiquei feliz em saber que o caminho para a saúde era tão fácil, simples e acessível a todos. Encontrar a Higiene Natural foi deliberante e me deu uma sensação de poder e controle, uma sensação de estar livre, já que eu não precisava de mais ninguém além de mim mesmo para tomar conta da minha saúde. Só precisava da minha própria responsabilidade se quisesse recuperá-la.
Na manhã do último dia, algumas horas antes de quebrar meu jejum, comecei a chorar. Entretanto, foi um choro completamente diferente dos que eu já havia vivenciado, era como se meu corpo, e não eu, estivesse chorando de felicidade e dor ao mesmo tempo, como se fosse uma reação inconsciente e incontrolável. E enquanto eu chorava, era como se ele me perguntasse por que demorei tanto tempo para simplesmente obedecer a seus comandos, obedecer aos meus instintos.
E devido a todos esses incríveis benefícios, devido a eu saber e sentir que estava no caminho certo para obter níveis de saúde inimagináveis e viver uma vida longa, produtiva e livre de doenças, prometi a mim mesmo que iria compartilhar isso com o maior número de pessoas que eu conseguisse. Que por ter recebido esse presente, essa informação tão valiosa que salvou minha vida, eu iria dedicar a minha vida em prol de que mais pessoas obtivessem o mesmo que eu havia conseguido. Chorando, jurei a mim mesmo que se dependesse de mim, o mundo todo ia ficar ciente da Higiene Natural e de que a única coisa de que precisamos para ser saudáveis é conhecer e aplicar os conceitos higienistas. Portanto, este livro se basea em um destes conceitos, baseia-se em um dos elementos da “Matéria Higienista”, baseia-se no descanso fisiológico do organismo o qual chamamos popularmente de jejum.
Durante um ano, fiz cinco jejuns médios a longos. O mais longo foi este primeiro, de vinte e quatro dias e o mais curto foi um de sete dias. Após ter recuperado minha saúde e funcionalidade, sentir-me íntegro, voltei a minha vida normal. Agora se estou sofrendo muito stress devido à vida moderna, ou tendo pouco tempo para dormir e descansar, vendo que meu corpo não está conseguindo recuperar-se das influências as quais está sendo submetido, simplesmente tiro um dia no final de semana, ou dois a três dias em um feriado para um curto jejum, para simplesmente fornecer a oportunidade do meu corpo se recuperar e assim manter minha saúde em dia. Agora que sei e estou em total contato com o meu corpo, não deixo as condições adversas se acumularem a tal ponto em que precise de um longo jejum para me recuperar.
Retomando minha rotina e lendo vorazmente a literatura higienista, fui motivado pelo sonho higienista e, por isto, segui em frente para escrever este e outros livros. Criei meu site (www.saudefrugal.com), comecei a palestrar, oferecer consultoria na área e fazer todo o possível para tornar esta informação disponível às massas. O sonho higienista, que é acreditado por todas as gerações de higienistas, é que quando instituirmos a vida saudável como a norma, a paz e a igualdade irá reinar na Terra e, mais uma vez, voltaremos a viver a vida utópica para qual fomos criados. Que, quando a civilização humana souber compreender, aceitar e aplicar a Higiene Natural, a paz e a saúde serão a norma ao invés da exceção. Que, quando pararmos de nos mutilar com bisturis e de nos envenenar com drogas farmacêuticas, acreditando que com estes procedimentos podemos sintetizar saúde, a raça humana começará a progredir para uma nova era pacífica e utópica, como foi o paraíso em que vivemos um dia antes da chamada "queda".

Acabei aprendendo na faculdade que, correntes da literatura, como o arcadismo e o naturalismo, tinham uma visão muito similar à dos higienistas, acreditando que o homem, nas condições ideais, vivendo na natureza, é benéfico e pacífico. Eles chamam de o “mito do bom selvagem”, o qual defende que a sociedade, a civilização e o abandono das práticas naturais corrompem o homem.
Durante a escrita do livro, "Saúde Frugal - O Guia ao Crudivorismo e a Higiene Natural", fui estagiar com um dos maiores higienistas da atualidade: o Dr. Douglas N. Graham. Ele supervisiona jejuns há mais de vinte anos. Passei um mês e meio em seu retiro de jejum na Costa Rica, tendo aulas de Higiene Natural, jejum, nutrição, anatomia, fisiologia, saúde em geral, aulas de culinária crudívora higienista e também aprendendo como cuidar e monitorar pessoas jejuando. Vi e cuidei de muitas pessoas jejuando, conheci dois casos de pessoas que sofriam de esclerose múltipla e ficaram curados através de um jejum e o estilo de vida higienista. Conheci até mesmo uma mulher a qual tinha tido câncer há trinta anos e estava  curada, já que encontrou e adotou os conceitos da Higiene Natural.
Durante meu estágio, tive o prazer de ver o processo de jejum pelo outro lado: como um espectador. Tive o prazer de observar o rejuvenescimento do corpo, da mente e da alma de quase dez pessoas. Tive o prazer de ver a regeneração ocorrendo e os problemas de saúde se tornando algo do passado. Foi uma experiência sem igual, conviver ao lado de cerca torno de vinte pessoas, as quais, praticamente todas, já haviam passado por jejuns longos e praticavam uma dieta higienista crua e frugal há um longo período de tempo. Comprovei minhas crenças, isso porque, durante todo o tempo lá, vi apenas alegria, saúde e produtividade.

Nunca em minha vida, vi um ambiente tão calmo, pessoas tão felizes, produtivas, ativas fisicamente, sempre sorridentes, calmas e bem equilibradas emocionalmente. Durante todo o tempo, não vi brigas ou nenhum stress sequer. Todos eram sempre enérgicos, mas ao mesmo tempo calmos, pacientes e prestativos. A felicidade e paz reinavam no local e todos sentavam à mesa juntos e compartilhavam de saborosas frutas e vegetais crus. Nenhum alimento cozido, processado ou a carne e secreções mamárias de nenhum animal era “degustado”. Comprovei o que já tinha comprovado em mim mesmo. Que a saúde e os naturais hábitos da vida propiciam às pessoas a paz interna, a felicidade e a produtividade, nossos bens hereditários. Comprovei que o mundo precisa viver de forma "higiênica" (trocadilho intencional), caso almejemos um futuro sustentável e tudo com que todos os seres humanos intrinsecamente sonham, isto é felicidade, paz, saúde e prosperidade.
Como visto e vivenciado pelo seu autor, o jejum é a forma que a natureza forneceu a todos os organismos vivos de promover a mais rápida regeneração, e a única ferramenta do verdadeiro rejuvenescimento. Seu autor, desde que começou o estilo de vida higienista, viu a remissão de doenças e problemas de saúde, as quais sofreu durante toda sua vida, e aparenta ser bem mais novo do que há mais de quatro anos e meio (antes de  viver segundo os ensinamentos da Higiene Natural) e muito mais novo  ainda que a idade que realmente tem, sente-se muitíssimo mais novo que quando era uma criança.

Sinceramente espero ter realizado um bom trabalho com este livro e que, nas páginas a seguir, apresento evidências suficientes que o homem, assim como os chamados “animais inferiores” podem e sempre jejuaram por prolongados períodos de tempo e com isso, ao contrário do que muitos acreditam, apenas obtém benefícios ao invés de malefícios.

Por isso, quero compartilhar com você a informação que mudou minha vida e a tornou melhor do que os meus mais incríveis sonhos e imaginação poderiam alcançar. Apresento, a seguir uma das facetas mais importantes da Higiene Natural, apresento a você: o jejum higienista."